O Gay na TV

gay

Os poucos personagens gays que caíram no gosto popular brasileiro possuem uma característica em comum: São caricatos. Quando os personagens não se encaixam nessa categoria e acabam se aproximando de um comportamento mais natural, há uma dificuldade de aceitação da obra por parte do público. Como consequência o desempenho do personagem é afetado no decorrer da trama.

O que significa um personagem caricato? Caricaturas são uma distorção da realidade. São uma ou mais características marcantes, geralmente de senso comum e que não são necessariamente físicas, onde o resto da obra é formado. Quando se trata de gays em novelas, o que se vê é algo ligado a comédia, as diferenças do personagem são destacadas com intuito de entreter, mas não com a intenção de mostrar a sua humanidade.

Um bom exemplo, o personagem da novela Amor à Vida, Max Felix. Apesar de ser o vilão, fez um grande sucesso com o seu jeito espalhafatoso e seu humor negro. Por consequência, sofreu uma reviravolta: de vilão passou a ser o mocinho e foi responsável pelo primeiro beijo gay da emissora Globo. Mesmo com suas maldades, Felix, por ser um personagem caricato, obteve uma aceitação do público, que torceu para que o seu final fosse feliz.

Símbolo Lésbica

Entretanto, com a novela Babilônia, a história foi diferente. Dessa vez, os personagens eram duas mulheres idosas, praticamente casadas e que já nas primeiras cenas se beijaram. As duas não representavam nenhum dos estereótipos lésbicos que o público espera, não eram masculinizadas, não eram caricatas e não eram um casal jovem.

A repercussão foi tão negativa que alguns setores religiosos pediram para que o público boicotasse a novela, afetando até a direção da emissora que, como estratégia para melhorar a audiência, teve que cortar algumas cenas de afeto do casal. É importante dizer que diferente do que estamos acostumados a ver em novelas, as duas representam uma trama mais humana. 

Há muito tempo gays são retratados em novelas, em sua maioria, caricatos e humorísticos. Porém, o exemplo de rejeição que acompanhamos em relação as duas personagens na novela Babilônia, revelam ainda uma faceta bastante preconceituosa do público brasileiro. Aqui, fica claro que os telespectadores não se sentem à vontade com gays que não agem como o esperado.  

O desprezo, quase unânime ao casal, evidência que o público não aceita personagens gays que representam um drama real. Eles precisam entreter para agradar. Sendo assim, concluímos que não é que um personagem gay seja prejudicial para quem vê a trama, mas sim, que retratá-los de maneira natural é um atestado de que ser homossexual é normal e isso é uma coisa que o público não quer ver em sua TV.

Anúncios

Continue…Amando aquilo que faz…

eu-no-continue-curioso

A internet tem muita coisa e você pode se sentir perdido com a quantidade de conteúdo em que é exposto. Mas, no meio de todas essas informações geradas pela rede, sempre há alguma coisa que me deixa orgulhosa de fazer parte dessa época.

E, entre as minhas andanças por esse vasto local, eu encontrei um projeto bem interessante com o intuito de dar uma nova visão sobre trabalho.

Continue Curioso…

É um projeto/série documentário criado pela redatora Juliana Mendonça e a fotógrafa Cristiane Schmidt, que tem como objetivo relatar pessoas comuns, que saíram dos seus empregos convencionais para seguir o seu coração. Curiosamente, ambas também largaram suas carreiras para trilhar o desconhecido.

Aliás, a palavra que define melhor o ideal desse projeto é o desconhecido.  Todos os entrevistados deixaram suas “âncoras” e foram correr o risco sem nenhuma certeza de sucesso. Um grande mergulho na impossibilidade de segurança não só profissional, mas também, pessoal.

Continue-Curioso

E, para questionar a definição de sucesso da sociedade atual, é necessário uma coragem enorme.

Os vídeos são postados uma vez por mês, por isso admito que para alguém como eu, que sofro de muita ansiedade, é muito complicado esperar um mês inteiro para ver outro… Mas o resultado de edição dos vídeos é realmente surpreendente, por isso é compreensível a espera.

Recomendo para quem é curioso assim como eu,  como também para quem está nesse conflito de não ter certeza se está no caminho certo profissionalmente.

Ah um detalhe: vale a pena dar uma olhada nos trabalhos de alguns dos entrevistados…

Se você quiser saber mais, as criadoras deram uma entrevista para o site da TPM, que você pode conferir aqui

E claro:

http://continuecurioso.cc/

Canal no Youtube